Noticias

quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Na passagem do centenário de Sérgio Malpique viveu-se momentos de grande emoção ao recordar-se o Homem e o Desportista

 "A paixão de Sérgio pelo desporto começou bastante cedo,ainda na escola primária"
A mesa de honra foi composta por Luís Milheiro, da Comissão Organizadora, Dr Joaquim Judas,presidente da Câmara Municipal de Almada, José Manuel Maia, presidente da Assembleia Municipal, pelo filho Luís Malpique(ele que também foi andebolista) Fernando Mendes,em representação do Andebol do Almada, Augusto Flor, presidente da Confederação das Coletividades de Cultura e Recreio e Domingos Torgal, presidente da Academia Almadense.
Com o  auditório do cine -teatro da  Academia Almadense, foi palco este sábado dia 5 de Março de 2016, da homenagem da passagem  do centenário, de Sérgio Malpique, uma glória do desporto almadense e na qual estiveram  presentes  antigas glórias do andebol do Almada Atlético Clube e amigos do homenageado, os seus filhos  Luís Malpique e Maria Luís  para além das netas e do bisneto.

A homenagem iniciou-se com a projeção de um vídeo da autoria de Modesto Viegas que retrata a vida do cidadão e a vida do desportistas, durante a sua exibição viveu-se momentos de emoção  ao relembrar  todo o passado Sérgio Malpique - O Cidadão e o Desportista (1916 - 2016), um desportista e um cidadão de grandes princípios ético e desportivos e que em 1933, juntamente com os amigos, António Calado, Francisco Avelar e Agostinho Brilhante, criou a JACA, Juventude Atlética Clube Almadense, para a prática do Atletismo e na qual chegou em 1940  a sagrar-se Campeão Nacional de lançamento de peso com a marca de 13,69 metros.
À esquerda na 1ª fila, os filhos de Sérgio Malpique
Maria Luís e Luís Malpique.Foto:Joaquim Candeias

 Em 20 de Julho 1944  a fundação do Almada Atlético Clube, saída da fusão entre o Pedreirense e o  União Almadense, levou Sérgio Malpique a implantar  o andebol em   Almada, dai que para conseguir formar uma equipa de andebol, socorreu-se dos amigos da JACA e da Marinha e em Dezembro fez a estreia oficial do andebol de onze e logo contra o Benfica, no Campo Grande.O Almada Atlético Clube acabou por ser derrotado por 10 - 1, sendo o golo de honra dos almadenses marcado pelo Sérgio. 
O primeiro onze do Almada A.C, na época de 1944/45 foi composto pelos seguintes atletas: Santos, Rocha e Oliveira, Américo, Francisco Bastos e Antunes, Bonifácio, Peneda, Malpique, Avelar e Carvalho.

Esta justa homenagem a Sérgio Malpique, foi da iniciativa de uma
Luís Milheiro,em primeiro plano, com Luís Malpique
e José Manuel Maia.Foto: Joaquim Candeias
comissão organizadora composta por Carlos Guilherme, Luís Milheiro, Modesto Viegas e Orlando Laranjeiro e que contou com uma Comissão de Apoio de 23 elementos, todos eles com ligações ao andebol almadense e que conviveram  de perto com o nosso saudoso Sérgio Malpique.


A mesa de honra foi composta por Luís Milheiro, da Comissão Organizadora, Dr Joaquim Judas ,presidente da Câmara Municipal de Almada, José Manuel Maia, presidente da Assembleia Municipal, pelo filho Luís Malpique(ele que também foi andebolista) Fernando Mendes, em representação do Andebol do Almada, Augusto Flor, presidente da Confederação das Coletividades de Cultura e Recreio e Domingos Torgal, presidente da Academia Almadense. 
Fernando Mendes, com a dinastia Malpique no andebol
Nas intervenções foi realçado o papel que teve Sérgio Malpique no Atletismo e no andebol, sendo ele o principal responsável pelo aparecimento do andebol no Almada Atlético Clube, ouve mesmo alguns oradores que não conseguiram evitar alguma emoção, como foi a intervenção de Fernando Mendes, ainda mais pela ausência do filho Vasco Malpique, que faleceu recentemente e que apesar de  doente fazia questão em estar presente na homenagem a seu pai, mas quis o destino que isso não viesse a acontecer.
Depois referiu que a família Malpique continua  ligada 
ao andebol, pelo jovem João, bisneto de Sérgio Malpique, tendo mesmo,solicitado  ao jovem a subir ao palco.
As netas de Sérgio Malpique, a emoção no agradecimento. Foto: Joaquim Candeias
Outro momento de emoção foi quando as  duas netas de Sérgio Malpique subiram ao palco para falarem do seu avô, dos ensinamentos que lhes foram transmitidos e agradecer a todos a homenagem que estavam a prestar ao seu avô. 


Coube a Orlando Laranjeiro falar de Sérgio Malpique,uma intervenção que teve algumas interrupções, face ao estado emocional, pela forma como se referiu a Sérgio Malpique maneira  de ser a maneira de ver o desporto e que deixou em todos, aqueles que tiveram o privilégio de praticar desporto com  ele,a admiração pelo Homem e pelo Desportista.
Depois leu alguns dos seus poemas dedicados a Sérgio Malpique  e que aqui reproduzimos 

Poder recordar-te "velho" Sérgio
É para nós um irrecusável dever
É sentir de novo o sortilégio
Da alegria, da emoção e do prazer

Celebrar teus cem anos de nascimento
Na homenagem que há muito te é devida
É abrir as porta de par em par ao sentimento
De uma paixão que jamais será esquecida

Foste o professor e companheiro
O ideólogo,o desportista e o atleta
O oficial e simples marinheiro
Farol e rumo de gente desperta

Ensinaste-nos a palavra liberdade
Foste o nosso grande timoneiro
Hoje és a grande e eterna saudade
De  um Homem  de corpo inteiro

Foste um Almadense de gema
Foste história, cravo e poema
Força indestrutível de um dique
Por tudo isto gratos te agradecemos
E hoje e sempre te diremos
Obrigado, Sérgio Malpique



Nota: 
Por vezes os rascunhos, pregam -nos partida, a noticia estava elaborada, mas faltava  as intervenções do presidente da Câmara Municipal de Almada, dr. Joaquim Judas e do vereador eng. António Matos. Daí termos guarda em rascunho deste post.
 O tempo passou e hoje dia 29 de Setembro de 2016, numa consulta aos rascunhos do blog, aparece este post, daí apesar de estar incompleto, irei  publicá -lo na mesma, na certeza que depois irei fazer adenda a este post, dos testemunhos dos presidente da autarquia e do vereador, para memória futura.

Joaquim Candeias

Sem comentários:

Enviar um comentário