Noticias

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Futebol »» Charneca de Caparica, na final da Taça "AFS" e a uma vitória de marcar presença na 1ª eliminatória da Taça de Portugal

O fairy play da claque Mancha Amarela, mereceu o aplauso dos jogadores visitantes e uma vénia dos jogadores da casa

A formação do Charneca de Caparica que fez história,ao apurar-se para a final
onde vai defrontar o Amora Futebol Clube que na outra meia final derrotou por

 2-0 o GD Alcochetense, marcando assim pelo segundo ano consecutivo a presença
 na final, de salientar que a turma do Amora FC é o atual detentor da Taça AFS, 
ao venceu a edição de 2015/2016,triunfo 1-0, sobre o Beira Mar de Almada.

O Campo do Cassapo, na Charneca de Caparica, viveu neste dia de 25 de abril, um feito histórico, não só pela vitória diante do Olímpico do Montijo, que garantiu ao Charneca de Caparica Futebol Clube a presença, pela primeira vez na final da Taça “AFS”, mas também pela presença de muito publico, talvez uma das maiores assistências, após a inauguração do piso sintético aí colocado.

A equipa pôde contar com o apoio do 12 º jogador, neste caso com (Mancha Amarela) que foi incansável no apoio aos jogadores e nem o golo inaugural da turma do Olímpico do Montijo, nem o penalty falhado por Elias, aos 14 minutos, arrefeceu os ânimos da “Mancha Amarela” que de principio e até ao fim incentivou os jogadores para a vitória, vitória que foi sofrida mas justa, ante um adversário que lidera o distrital da 1 ª divisão de Setúbal, e que nesta partida a contar para a Taça, era considerada favorita, mas não basta ser favorita, tem que o demonstrá-lo em campo e isso não aconteceu.
O golo  do Olímpico, marcado por Raul, aqui encoberto por
um colega

A partida iniciou-se praticamente com o golo de Raul Rocha aos 5 minutos, cruzamento para a pequena área do guarda de Heleno, com Raul a elevar-se mais alto que dois defensores do Charneca de Caparica e a cabecear para o fundo da baliza.

Á passagem dos 14 minutos, penalty na área do Olímpico, chamada a convertê-la, Elias rematou rasteiro e denunciado para o lado direito da baliza de Carlos Miguel, com este a não ter dificuldades em defender o remate do dianteiro da equipa da casa.

Com a equipa da casa na procura do golo do empate, aos 25 minutos Fabinho num remate cruzado ao segundo poste levou o esférico a rasar o poste direito da baliza dos visitantes, Fábio Mendes (Fabinho) que viria ao longo do jogo a ser pedra importante no ataque da equipa liderada por Élio Santos.

Aos 30 minutos o Olímpico poderia ter chegado ao segundo golo, mas o guarda redes Heleno Gomes, nas alturas a socar o esférico para fora da área e assim a evitar o golo dos visitantes.
Fábio Mendes, foi quebra cabeça para os adversários

Aos 31 minutos, foi a vez do Charneca, lance de ataque conduzido por Fabinho, pelo lado direito entrou na área rematou forte, mas ao lado da baliza.

 Aos 33 minutos foi a turma do Olímpico, lançar um contra-ataque pelo flanco direito do seu ataque, com e a ganhar um pontapé de canto que acabou por não resultar.

A partida esta electrizante e com sinal mais para a turma da casa e aos 35 e 36 minutos, o golo do empate esteve perto, primeiro por Elias que tirou um adversário do caminho e em boa posição de remate, rematou forte, com o esférico a passar a centímetros da baliza de Carlos Miguel e depois foi Fabinho a libertar-se de dois jogadores, mas o remate  saiu ao lado.

Com a equipa da casa por cima, o intervalo chegou, com a vantagem dos homens liderados pelo técnico David Martins.

Na segunda parte a equipa do Montijo, deixou ficar no balneário, Nelson Mota por troca com Iuri Daniel e aos e aos 51 minutos, Fábio Mendes voltou a lançar o pânico na área do Olímpico, com um forte remate que passou a rasar o poste direito da baliza de Carlos Miguel, com este a lesionar-se e a necessitar de assistência médica.

 O lado direito do ataque do Charneca de Caparica, era sempre conduzido por Fábio Mendes que continuava a fazer estragos no ultimo setor defensivo da turma do Olímpico, sem que merecesse uma atenção especial por parte do técnico David Martins.

Aos 62 minutos, lance confuso na área do dos visitantes, com o árbitro prontamente a assinalar a marca de grande penalidade, chamado a cobrar o livre Dany rematou forte, com o guarda redes Carlos Daniel a defender para a frente e aí sim na recarga Dany a não perdoar, estava assim reposta a igualdade no marcador, para gáudio dos adeptos da Charneca de Caparica.

O golo do empate lançou a equipa de Élio Santos, na busca do segundo golo, numa altura em que o técnico do Olímpico procedeu à segunda substituição ao fazer sair Ruben Gois e tendo entrado João Monteiro para jogar ao lado de Thiago Santo, numa tentativa de refrescar o duo atacante.
Dany a festejar o golo que alcançou na marcação
de uma grande penalidade

Aos 70 minutos, livre contra a turma visitada, marcado por Thiago Santo, com o esférico a embater num jogador do Charneca de Caparica, com jogadores e equipa técnica a reclamar grande penalidade, por suposta mão do defesa charnequenses, o certo é que o árbitro João Bernardo em cima do lance nada assinalou, ficando assim na dúvida se foi braço na bola ou não.

Aos 75 minutos o Charneca de Caparica, chegou à vantagem, lançamento do lado direito do ataque charnequense, com Maside a enviar o esférico para a área, onde apareceu o central Ricardo Aires a saltar mais do que os seus opositores e de cabeça a bater o guarda redes da turma visitante, estava assim consumada a reviravolta no marcador, golo esse muito festeja do por atletas e massa associativa.

Após o golo e de imediato o técnico David Martins, alargou a sua frente de ataque com a entrada de, Carlos Micael(Cami) ele que é o melhor marcador da equipa e que lidera a lista dos melhores marcadores da distrital. Na resposta Élio Santos, fez sair Rafa por troca com Nicolau Tavares, para dar maior consistência ao seu meio campo do Charneca de Caparica.

Em desvantagem no marcador a equipa visitante reagiu, abalançou-se mais no ataque e começou a fazer cruzamentos para o último reduto da turma da casa, mas atuar muito compacta no setor recuado a equipa da casa ia anulando o período da turma do Olímpico do Montijo.

Aos 86 minutos livre contra a equipa da casa, com o esférico no circulo da meia lua da entrada da área, Thiago Santo na conversão rematou forte, com o esférico a tabelar num defensor visitado e assim gorada a hipóteses de chegar ao empate.

Aos 88 minutos, lance cópia do segundo golo, com Maside num lançamento lateral para a área, onde apareceu Ricardo Aires a ganhar o lance, mas junto ao relvado e a não conseguir desviar o esférico para a baliza da visitante

Aos 90 minutos o prémio mais que merecido para Fábio Mendes e Elias, com Fábio Mendes a tirar dois jogadores do caminho a entrar na área e a dar de bandeja a Elias, ele que falhou a primeira grande penalidade, e que teve nos pés mais duas oportunidades de golo, aqui a redimir-se a  marcar o terceiro golo da equipa.

Com o árbitro a conceder mais 6 minutos de jogo, aos 90+4’ foi a vez de Carlos Micael, desperdiçar soberana oportunidade de reduzir a desvantagem da sua equipa, com um remate bem colocado a bola levava o selo de golo, mas passou a rasar o porte direto da baliza de Heleno.

Assim que o árbitro deu por terminada a partida, os jogadores do Charneca de Caparica festejaram efusivamente a passagem da equipa à final da Taça “AFS- Joaquim Sousa Marques”, para delírio dos seus adeptos em contraste com o desalento nas hostes da turma do Montijo e com muitas criticas á atuação do trabalho do trio de arbitragem.

Triunfo justo da equipa do Charneca de Caparica que entrou para esta partida com um objetivo principal que era garantir a presença na final da taça, ante um adversário bastante forte a nível distrital, mas que nesta partida deixou no banco algumas pedras fundamentais na manobra da equipa e acabou por ser penalizada.

O trabalho do trio de arbitragem, cometeu alguns erros, um lance duvidoso na área do Charneca de Caparica, deixou-nos muitas dúvidas, mas muito longe do lance, não podemos aqui ajuizar se foi penalty ou não, o certo é que o lance foi muito protestado pelos homens do Montijo
 
A formação do Olimpico
Ficha do jogo
Partida realizada dia 25 de abril, no Campo do Cassapo, a contar para as meias finais da Taça “AFS”. Ao intervalo:0-1. Resultado final: 3 - 1.
Árbitro: João Bernardo
Árbitros assistentes:
1º Árbitro: Pedro Pedrosa
2 º Árbitro: Alexandre Silva

Charneca de Caparica Futebol Clube: Heleno Gomes; Carlos Carvalho, Neca, Ricardo Aires e Wilson(Dany,61’); Hadil(cap.), Maside, Bambo e Fábio Mendes; Rafa (Nicolau Tavares,77’) e Elias(Santiago,90+2’).
Suplentes não utilizados: Hernâni, Cláudio, Bruno e Leston
Treinador: Élio Santos
Treinador adjunto: Custódio Galveias
Treinador Adjunto/delegado: Paulo Loureiro

Olímpico do Montijo: Carlos Miguel: Nuno Cunha, Nelson Mota (Iuri Guerreiro, 45’), Raul Rocha e Jean Gonçalves; Marcelo Castro, André Filipe (Carlos Micael,77’), Carlos Almeida (Gil Costa,73’) e Luís Projecto; Thiago Santo e Ruben Goias (João Monteiro,62’).

Suplentes não utilizados: Miguel Brás, Paulo Nunes e João Miguel.
Treinador: David Martins

Ação disciplinar: para alem de alguns cartões amarelos para jogadores de ambas as equipas, o árbitro João Bernardo, expulsou do banco treinador ajunto do Olímpico.

Golos:
 0 – 1, aos 5 minutos por Raul Rocha
 1 –­ 1, aos 62 minutos por Dany, na conversão de uma grande penalidade.
 2 ­-  1, aos 75 minutos por Ricardo Aires
 3 – 1, aos 90 minutos por Bruno Elias
A festa na banca ao longo da partida no apoio  aos jogadores , foram de fato o 12 º jogador
da equipa do Charneca de Caparica

Sem comentários:

Enviar um comentário