Follow by Email

terça-feira, 13 de setembro de 2016

Futebol : Cova da Piedade - Santa Clara : Sérgio Boris deixa alerta, treinar no relvado da Pista Municipal e jogar no relvado do Estádio Municipal

Pequenos  detalhes que fazem a diferênça

Os técnicos Sérgio Boris e o adjunto Alexandre Santana

Sérgio Boris: "Hoje jogamos em casa porque tivemos mais publico, não o que gostaríamos, esperamos mais, não fizemos quilómetros em viagem para jogar, é verdade e daí não tivemos o cansaço de uma viagem, em relação à adaptação ao piso, jogamos num campo neutro, ninguém treinou aqui tal como o Santa Clara, o certo é que o Santa Clara, jogou em casa, com um campo deste tamanho, ao contrário de nós que treinamos num campo com  medidas reduzidas e ao domingo jogamos aqui"

No final da partida entre o Cova da Piedade, 1- Santa Clara,1, a contar para a 5 ª jornada da II Liga- Ledman Liga Pro, realizado no passado domingo,11 de setembro, no Estádio Municipal José Martins Vieira, na Cova da Piedade, realizou-se a habitual conferência de imprensa com os técnicos Sérgio Boris pelo Cova da Piedade e Daniel Ramos por parte da turma do Santa Clara e em que ambos os técnicos enalteceram a excelente partida de futebol e  em que o mesmo futebol saiu dignificado.

Nessa conferência de imprensa, para além da analise à partida, o técnico Sérgio Boris, questionado por uma pergunta sobre o relvado que foi inaugurado, no passado dia 3 do corrente mês e que ainda não pode ser utilizado nos treinos da equipa, o técnico disse: " É impensável, há dois meses e meio que andamos a treinar  no relvado da Pista Municipal da Sobreda,  num campo 
que tem menos 7 metros de largura, queiramos ou não, são esses pequenos detalhes, voltar a jogar no Estádio Municipal, sem que possamos treinar nele".

Sérgio Boris – Treinador do Cova da Piedade
“Acabamos por sofrer o golo do empate, num momento em que estávamos tranquilos, sem bola mas confortáveis"

O técnico piedense, começou por dizer:
“ Um bom jogo de futebol, duas boas equipas,na primeira meia hora tivemos algumas dificuldades, por uma série de fatores que não estávamos à espera, mas também pelo adversário que nos criou alguma dificuldades. No último quarto de hora o jogo foi mais equilibrado, criámos duas oportunidades e alcançamos um golo fantástico,mesmo ao final da 1 ª parte”.

- Segunda parte ?
"Na segunda parte foi um domínio consentido pelo Cova da Piedade, ao Santa Clara, uma equipa com mais posse de bola, que exerceu um maior domínio territorial, mas fomos nós que criámos uma grande oportunidade de marcar e aí sim poderíamos ter matado o jogo. Acabamos por sofrer o golo num momento em que estávamos tranquilos, sem bola mas confortáveis. O resultado aceita-se porque o Santa Clara foi um digno adversário".

A equipa do Santa Clara, surpreendeu-o?
" Sabíamos que era uma equipa forte que liderava a prova, sem  derrotas e que já tinha vencido o seu mais direto adversário o Portimonense, para a Taça da Liga, no entanto nós fomos fortes e até agora o Cova da Piedade, foi a única equipa a roubar pontos ao Santa Clara, isso também tem que ser enaltecido agora, cada jogo é um jogo e hoje somamos mais um ponto, no final fazemos as contas, se  ganhamos um ponto ou perdemos dois, no final veremos".

Uma outra questão foi colocada ao técnico piedense, e teve a haver com o relvado do Estádio Municipal José Martins Vieira, pelo facto da equipa continuar a não treinar no recinto em que realiza os seus jogos e da influência que isso tem para a equipa.

O técnico Sérgio Boris, meditou um pouco e não fugiu a questão que lhe foi colocada,começando por dizer:
" Até hoje não me desculpei com o relvado, aceito algumas decisões técnica que talvez não fossem as melhores, e nunca falei do campo, mas já agora para não fugir à questão que me foi colocada, direi que treinamos num campo relvado da Pista Municipal da Sobreda, que tem menos 7 metros de largura, queiramos ou não, há dois meses e meio,  no passado sábado dia 3 de setembro jogamos  aqui no Estádio Municipal  e hoje domingo dia 11, voltamos a jogar aqui, sem podermos utilizar o relvado para os treinos, há mil e uma razão para que isso tenha acontecido, eu aceito, mas temos que perceber uma coisa, uma equipa profissional a este nível faz-se por detalhes(...)."

 
Lutou-se muito no Cova da Piedade - Santa Clara. Foto: Joaquim Candeias 

Sérgio Boris, realçou que na 2 ª liga  ganha-se por pormenores, vence - se ao detalhes - " Hoje jogamos em casa porque tivemos mais publico, não o que gostaríamos, não fizemos quilómetros em viagem para jogar, é verdade e daí não tivemos o cansaço de uma viagem, em relação à adaptação ao piso, jogamos num campo neutro, ninguém treinou aqui tal como o Santa Clara, o certo é que o Santa Clara, jogou em casa com um campo deste tamanho, ao contrário de nós que treinamos num campo com  medidas reduzidas e ao domingo jogamos aqui. Quando as pessoas não perceberem que os pequenos detalhes possam ou não ganhar pontos e porque honestamente, as pessoas que estão relacionadas com a estrutura do clube, tenho a certeza absoluta que tudo fizeram para que nós treinássemos aqui, desde a Direção à Sad".

- O porquê de isso estar a acontecer?
"Falaram em lagartas e mil e uma coisa, o que sei é que eu não domino a relva e nem quero dominar, respeito o trabalho das pessoas, vou respeitar sempre, acredito naquilo que dizem, mas não posso, entender (...), competimos numa liga profissional mais competitiva do país e não se  pode dar ao luxo de quando se joga contra o  1 º classificado, uma equipa que soma por vitórias os jogos que efetuou  é entregar de borla esses pormenores que na hora da verdade pode fazer a diferença, se foi por isso não sei dizer-lhe, mas  não ter  treinado aqui pesou muito".

- Tem solução para esse problema?
"Não, não tenho solução, eu tento arranjar soluções para a minha equipa,o que posso acrescentar é que a minha equipa entrou na partida inicial do jogo envolvida por uma qualidade do adversário,fantástica que na primeira meia hora fez uma excelente partida ao contrário daquilo que tínhamos pensado e isso sim é da minha responsabilidade, essas eu assumo todas. A equipa do Cova da Piedade a partir da meia hora melhorou o seu jogo, uma equipa que na segunda parte entregou o domínio do jogo ao adversário, mas com o controlo do jogo, conseguimos sair as vezes necessárias para que pudéssemos matar o jogo e como viram a melhor oportunidade de golo e antes deles empatarem foi nossa, isso sim é da minha responsabilidade, temos um grupo fantástico que está envolvido pelos objetivos do clube e que da parte direção, também tudo tem feito para que nada falte".

Sérgio Boris, enalteceu a disponibilidade da Câmara Municipal de Almada, na transformação do Estádio Municipal
"Da parte da autarquia também tem feito a sua parte, na transformação deste complexo desportivo, em três meses, dando todas as condições para que o Cova da Piedade possa jogar aqui, a Sad também pelo seu empenho que tem feito para que nós aqui possamos treinar. As razões por que isso não acontece eu nada tenho a haver com isso, o Cova da Piedade não empatou hoje aqui,fecho esta história dizendo, não empatamos hoje aqui,por  que não treinamos no nosso Estádio. Eu acho é que na liga mais competitiva de Portugal, todos os pormenores devem ser levados em conta e esse é um pormenor, que no futuro temos que olhar para ele de uma forma mais responsável".

A terminar Sérgio Boris endereçou os parabéns ao Santa Clara, um adversário que esteve à altura do jogo que transformou um jogo de 2 ª liga, tão bom como muitos da  1 ª Liga e que o Cova da Piedade contribuiu bastante.


“Fomos para o intervalo, com um resultado injusto”
- Daniel Ramos -Treinador do Santa Clara
O treinador do Santa Clara, Daniel Ramos

“Foi uma excelente partida em que a minha equipa desfrutou de algumas oportunidades de golo, não conseguimos concretizá-las merecíamos ir para o intervalo em vantagem, o resultado era injusto.Na 2 ª parte o Cova da Piedade entrou melhor, mas aos poucos voltamos a ter uma maior supremacia, exploramos bem os corredores, ganhamos espaços e com a nossa determinação e persistência, mais cedo ou mais tarde chegaríamos ao golo, ficou clara a intenção de não nos limitar a esperar pelo golo fomos em busca dele, ante um adversário que tentou segurar a vantagem, mas apesar do empate para mim foi uma frustração, pelo que jogamos, o triunfo era o resultado mais justo”

- Mas o Cova da Piedade, acabou também por ter mérito no resultado e aquela que esteve mais perto da vitória?

“ Sim, com isso não quero tirar o mérito à equipa do Cova da Piedade, uma equipa muito forte e a ter em conta no campeonato. Acabamos de presenciar hoje aqui duas excelentes equipas que proporcionaram uma excelente partida de Futebol e quando assim é o futebol está de parabéns”

Sem comentários:

Enviar um comentário