Follow by Email

terça-feira, 23 de maio de 2017

II Liga» Acad.Viseu 2 - 2 Cova da Piedade » para muitos o "patinho feio" da 2 ª Liga, o Cova da Piedade, chegou à liga profissional viu e triunfou e manteve-se na segunda prova maior do futebol nacional

Joaquim Judas, presidente da Câmara Municipal de
 Almada, telefonou a Paulo Veiga, presidente da 
direcção do Cova da Piedade, para saudar os 
jogadores, técnicos e dirigentes pela manutenção do
 clube na Liga Profissional de Futebol.
Para a história,este o onze inicial que defrontou o Académico de Viseu e
que garantiu a manutenção do Cova da Piedade na 2 ª Liga de Futebol

A festa no Fontelo, foi dos piedenses, após empate [2-2] ante o Académico de Viseu, com os jogadores, técnicos dirigente do Cova da Piedade, a deslocarem-se para um dos topos laterais do estádio para aí junto dos adeptos comemorarem a manutenção na 2 ª Liga para a época 2017/2018.


Foi um ambiente de muita emoção, aquele que si viveu após o termo da partida, com  alguns jogadores,no momento dos festejos junto dos adeptos do Cova da Piedade, a não evitaram as lágrimas, ante o desespero dos jogadores e adeptos viseenses, que com o empate viram a sua equipa relegada para o Play Off de Permanência, onde vão defrontar o Merilinense, com alguns jogadores postados  no relvado, face ao insucesso da sua equipa.

Numa excelente tarde de futebol a mobilização por parte dos viseenses foi total, os quais preencheram as bancadas que lhe foram reservados para o jogo de extrema importância entre os locais e o Cova da Piedade enquanto por banda dos piedenses, marcaram presença pouco mais de 8 dezenas de adeptos, poucos, mas que se fizeram ouvir no incentivo aos jogadores.

A partida iniciou-se com cerca de três minutos de atraso, devido ao fato do jogo Gil Vicente – Famalicão, ter sofrido algum atraso e como estava uma dessas equipas envolvidas, ou seja, o Famalicão, o delegado da liga José Domingues, depois de estar em sintonia no que se passava em Barcelos, deu indicação ao árbitro Vasco Santos para o inicio da partida.
Luís Silva e Ballack, com excelentes prestações na partida

Foi a equipa do Cova da Piedade a primeira a abrir as “hostilidades”, aos 2 minutos de jogo após excelente jogada de Luís Silva que cruzou para a área onde pareceu um seu colega a rematar e o esférico a passara a centímetros do poste direito da baliza de Rodolfo.

Aos 8 minutos e já dentro da área, Zé Paulo rematou forte e colocado, com o esférico a tabelar em Roberto Cunha e assim a gorar-se uma excelente oportunidade para os viseenses.

A partida estava emotiva, com ambas as equipas a procurarem o golo, com a turma de Viseu a explorar muito bem o seu flanco direito, principalmente por Tiago Borges e aos 10 minutos um forte remate de Bruno Miguel, a obrigar Pedro Alves a defesa apertada.
O veterano Jorge Silas, não conteve as lágrimas e chorou, ele que recentemente
 deu a entender que vai abandonar o futebol. Parabéns Silas pela magia
que exibiste ao longo destas duas últimas épocas ao serviço do Cova da
 Piedade. Os homens também choram!!! Felicidades

Aos 13 minutos os viseenses ficam a reclamar uma falta sobre Tiago Borges, com o árbitro a mandar prosseguir o jogo, no minuto seguinte canto contra a turma do Viseu, com Soares na sua marcação a levar o esférico para a zona do guarda redes, o mesmo foi aliviado para fora da área, onde apareceu Dieguinho que de primeira rematou com o esférico a passar sobre o travessão da baliza de Rodolfo.

 A partida estava emotiva, com a turma piedense muito bem organizada e sempre com a baliza adversária, em mente, embora no outro lado estivesse uma equipa mais atrevida na procura do golo que lhe daria vantagem no confronto direto com a turma da Cova da Piedade.

Com o tempo a passar a equipa piedense veio a beneficiar de dois cantos consecutivos à passagem, num deles com um defesa local a antecipar-se a Adilson e a desviar para canto.

Aos 29 minutos foi a equipa orientada por Francisco Chaló a estar mais perto do golo, lance de contra-ataque pelo lado direito com Tiago Borges a ir à linha de fundo, a fazer o cruzamento para a área, onde apareceu Bura que de primeira rematou, mas muito ao lado da baliza de Pedro Alves.

Os últimos quinze minutos foram diabólicos, com ambas as equipas a criarem algumas situações de golo, mas a mais flagrante aconteceu já em períodos de descontos 45´+1’, na conversão de um canto contra os visitados, a bola foi repelida por um defensor do Viseu ressaltou para Robson que de primeira rematou forte com o esférico a embater na trave da baliza do Académico de Viseu, com o guarda redes Rodolfo, já fora do lance.
Lance de perigo na área do Académico de Viseu, com Miguel Ângelo a rematar
 ante o olhar do seu companheiro Roberto Cunha ele que foi muitas vezes lá à
 frente e numa delas marcou o golo do empate(1-1).

Não marcou o Cova da Piedade marcou a turma do Viseu, aos 45’+3’ depois de numa primeira intervenção Pedro Alves a negar o golo a Sandro, com o esférico a ressaltar para a bola foi depois para os pés de Rui Miguel que de primeira rematou para o fundo das redes de Pedro Alves.

Na segunda parte, começou o festival de Pedro Alves, na baliza dos piedense e a tornar-se o grande obstáculo para os viseenses, aos 52 minutos negou o golo aos visitados, ao desviar para canto uma bola que levava o selo de golo.

Aos 55 minutos num livre contra o Cova da Piedade, Pedro Alves nas alturas a levar a melhor sobre os avançados da turma da casa.

Aos 57 minutos, voltou-se a gritar golo para as bandas do Académico de Viseu, mas o gigante guarda redes piedense voltou a ser enorme ao negar o golo a Paná e no minuto seguinte   voltou a travar mais um lance de ataque dos visitados.

Os primeiros quinze minutos, foram de fato de um domínio da equipa da casa que procurou o segundo golo para poder gerir a vantagem e onde a turma do Cova da Piedade, consegui ultrapassar a situação, graças a Pedro Alves.

O técnico do Cova da Piedade, reagiu de pronto e aos 63 minutos fez sair Robson, esgotado, para entrar André Carvalhas para dar uma maior consistência ao seu meio campo e o certo é que aos 65 minutos a turma do Cova da Piedade chega ao golo através de Roberto Cunha, após uma primeira defesa do guarda redes do Viseu, a bola foi parar aos pés do central piedense que na pequena área fuzilou as redes dos visitados.

O golo do empate foi muito festejado pelos jogadores e o banco de suplentes, com os adeptos do Cova da Piedade, nas bancadas a associarem-se á festa e a incentivarem os seus jogadores, perante o desalento nas hostes de Viseu que com o empate e a vantagem do Famalicão em Barcelos, colocava a equipa no play off.
Dieguinho,autor do segundo golo que colocou o Cova da Piedade na frente
 do marcador (1 - 2),foi um quebra cabeças para o último reduto do Académico
de Viseu.Foto:Joaquim Candeias

Ainda os ecos do golo do Cova da Piedade se fazia sentir nas hostes piedenses e já Dieguinho aos 67 minutos protagonizava a cambalhota no marcador ao apontar o segundo golo que garantiria a permanência dos piedense na 2 ª Liga, golo esse que silenciou por completo as hostes de Viseu ante os festejos dos adeptos da turma do concelho de Almada, nas bancadas do Estádio do Fontelo.

O golo tranquilizou a equipa que, conhecedora da vantagem do Famalicão em Barcelos, só a derrota lançaria a equipa para o play off e então  a equipa soube gerir a vantagem e aos 75 minutos, um lance na área do Cova da Piedade, com Zé Paulo de costas para a baliza e numa zona lateral da área, sentiu o encosto de  um defensor piedense e atirou-se para cima da bola, o árbitro em cima do lance e depois de alguma hesitação decidiu-se pela marca de grande penalidade, chamado a  marcar a grande penalidade, Sandro Lima bateu o guarda redes Pedro Alves, estava assim restabelecido o empate que ainda era insuficiente para a turma de Viseu.
Pedro Alves o gigante  a antecipar-se a uma das torres defensivas do Viseu,neste
caso Bura que foi à baliza piedense tentar a sua sorte.
Foto:JoaquimCandeias

Os últimos 15 minutos foram vividos com muito dramatismo, para ambas as equipas, mais para as hostes de Viseu que eram obrigados a vencer, com o técnico João Barbosa a lançar no jogo Jorge Silas, o qual foi muito ovacionado pelos adeptos piedenses, talvez no adeus a um jogador de eleição que serviu o Cova da Piedade nas duas últimas épocas e que já anunciou um ponto final na sua carreira, a não ser(?).

Com a partida a aproximar-se do fim a turma do Cova da Piedade, soube gerir o empate, ante do desespero da turma da casa que começou a despejar bolas para a área piedense, numa tentativa de chegar à vitorias, mas Pedro Alves e companhia fecharam a setes chaves o caminho para a sua baliza, com Pedro Alves, ainda a ser obrigado a duas grandes intervenções para negar o golo à turma de Fernando Chaló.
Roberto Cunha autor do golo do empate(1-1) aqui no final
do jogo a ser cumprimentado pelo técnico João Barbosa.
Foto:Joaquim Candeias

Um empate que garantiu à turma do Cova da Piedade a continuação na II Liga Profissional e que na partida em Viseu justificou plenamente a sua manutenção, em que a turma do Cova da Piedade com uma exibição notável e de uma entreajuda fantástica entre todos os seus atletas e com Pedro Alves a voltar a ser enorme na baliza do Cova da Piedade, com um setor defensivo irrepreensível, um meio campo muito batalhador e com dois homens na frente a dar muito trabalho ao último reduto da turma da casa,

A equipa do Viseu, caiu de pé, nesta partida, encontrou pela frente uma equipa muito trabalhador e não foi aqui que a equipa foi remetida para o paly off.

O trabalho do internacional Vasco Santos, foi excelente, não se deixou condicionar, no aspeto disciplinar esteve bem, teve o jogo na mão, exibiu a cartolina amarela quando teve que fazê-lo. No aspeto técnico   um ou outro lance mal ajuizado, não lhe tiram mérito ao seu trabalho.

As três equipas a entrarem no relvado do Municipal de Fontelo. Foto:Joaquim Candeias


Jogo disputado no Estádio Municipal do Fontelo, em Viseu.
Partida disputada no Municipal do Fontelo, em Viseu, a contar para a 42ª jornada e última da II Liga. Ao intervalo: 1 – 0. Resultado final: 2- 2. Presentes no Municipal do Fontelo, cerca de 2600 espetadores.

Árbitro - Vasco Santos (A.F. Porto)
1º árbitro assistente – Bruno Trindade. 2º árbitro assistente -  Sérgio Jesus.
Delegado da Liga - Sr. José Domingues

As equipas alinharam:
A equipa do Académico que tudo fez para chegar à vitória, mas encontrou pela frente,
uma equipa muito batalhadora

- Académico de Viseu: Rodolfo, Carlos Eduardo (Luisinho, 71), Bura, Bruno Miguel, Stephane, Paná, Capela, Tiago Borges (Zé Pedro, 71), Zé Paulo, Rui Miguel (Bruno Loureiro, 56) e Sandro Lima.

- Suplentes não utilizados: Elísio, Tiago Gonçalves, Tomé, Luisinho, Moses.

- Ação disciplinar- Cartão amarelo para Bruno Miguel (26’), Bruno Loureiro (62’) e para Stéphane(69’).

- Treinador: Francisco Chaló.

- Presidente: António da Silva Albino

- Clube Desportivo da Cova da Piedade: Pedro Alves, Chico Gomes, Roberto Cunha, Miguel Ângelo, Evaldo, Soares, Robson (André Carvalhas, 63), Luís Silva, Adilson (Siaka Bamba, 82), Ballack (Silas, 75) e Dieguinho.

- Suplentes não utilizados: Guilherme, Yi, Filipe Godinho e Irobiso).

Ação disciplinar - cartão amarelo para Robson (25’), Dieguinho (46’), Ballack(51’) e Adilson(80’).

Treinador: João Barbosa.

Presidente: Kuong Chun Long

Golos e seus marcadores:
0 – 1, aos 45’+3´, por Rui Miguel
1 – 1, aos 65’ por Roberto Cunha
1 – 2, aos 67’ por Dieguinho
2 – 2, aos 74’ por Sandro Lima, na conversão de uma grande penalidade

Dirigente da Sad do Cova da Piedade aqui   exuberante no  festejos pela manutenção na 2 ª Liga.
 A festa também foi deles

Sem comentários:

Enviar um comentário